sábado, 1 de agosto de 2009

Porque eles partem.

"Era manhã de sábado, o sol finalmente apareceu no céu depois de tanto tempo sem brilhar direito no céu.
Ela caminhava com apenas uma flor em sua mão.
Finalmente a chuva parara.
Finalmente ela conseguiu parar de chorar.
Era hora de juntar forças e dizer adeus.
Mas seria dificil demais dizer adeus a quem não disse que ia embora.
E mesmo sabendo que não poderia faze-lo ela foi.
Precisava ir.
Faltava-lhe forças.
Mas ela caminhou e continuou, sozinha, olhando aquele sol que lhe machucava os olhos tristes.
Ela deixou a rosa amarela, como fizeram anteriormente, ali, em homenagem a saudade que sentia.
Paracia que tinha sido ontem, mas já se foram quase doze anos.
E a dor continuava igualzinha."



Saudades demais da minha avó.

Nenhum comentário:

Postar um comentário