sábado, 25 de agosto de 2012

Ausência


Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar os teus olhos que são doces 
Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres eternamente exausto. 
(...) 
Eu deixarei... tu irás e encostarás a tua face em outra face. 
Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada. 
(...)
Eu ficarei só como os veleiros nos pontos silenciosos. 
Mas eu te possuirei como ninguém porque poderei partir. 
E todas as lamentações do mar, do vento, do céu, das aves, das estrelas. 
Serão a tua voz presente, a tua voz ausente, a tua voz serenizada.

Vinícius de Moraes

Um comentário:

  1. o blog ta de parabéns,maravilha,não perdi tempo olhando ele,to sempre acompanhando e vou recomendar ele pra todos meus amigos como estou recomendando o www.rastreamento.org que é muito bom pra rastrear carro,pessoas etc...e aproveita ai e da uma divulgada no meu serviço www.tecladoespiao.com pra você que quer sabe tudo que digitam em seu computador é bom pra filhos,mulher etc..abraços e parabens pelo blog

    ResponderExcluir